30 novembro 2009

Um olhar sem um beijo...

Continuo a falar como um simples homem, apenas e só como amor de homem e isso so depende de mim.
Há os que tem receio do amor; há os que defendem que a paixão, so existe na emoção e na altura das borboletas.
Mas não...na altura das borboletas há pouco para arriscar e a confiança ainda nem começou...
Com o passar do tempo, o medo de perder é o resultado da beleza deste tipo de viver, é esse medo de nós, dos que amamos, que faz com que a paixão, seja tão viva, quando a vemos e sentimos do outro lado. Não receiar o amor depois do conhecer...não...jamais, receio apenas o olhar sem o beijar, isso sim.
Receio um dia olhar nos olhos de quem amo e sentir que me ama e não a beijar, porque um olhar sem beijo não é nada, é desejo, é sonho, é dor... um olhar com beijo é tudo, é o sentir que continua a fantasia a alegria e o eterno amor ao luar.
Adoro acordar e ver a doce visão de um anjo feminino dormindo, de sentir que sou a proteção, a força e a luz de quem amo. Quero sentir que a peça que me completa está ali, sem pressas, sem mais ninguém.
Vivendo comigo, agora, ali, depois, noutro lugar....

O dia começa lentamente entrando pelos pequenos vãos da janela. E então, iluminam o quarto. Estou tão calmo, que apesar de estar já acordado, quero deliciar-me com os poucos minutos que tenho para me levantar, mas a cama está tão boa, os lençóis tão sedosos, quentinhos, que parecem sobremesa.
Viro-me para o lado e lá está ela, a tocar-me apenas com a ponta das unhas, com a mão em forma de concha como se quisesse me agarrar, com receio que eu vá fugir.
Por momentos , não sei o que sonhar, o que fazer, desejar, o que pensar... mas não me interessa, não me interessa, porque posso viver mais um dia com ela ao meu lado. Posso viver minha paixão e o meu amor em visões que me deliciam o ego e me pintam o quarto como um irradiar de arco-íris em mistura com o Sol da manhã.
E o meu louco amor, leva-me a seguir os lençóis brancos....O dia começa mais devagar, e recordo em segundos, as horas de beijos, de lua e de carícias de caramelo e canela, sento-me cruzando as pernas e ela abraça-me pelas costas beijando-me o pescoço.
Sou homem, estou apaixonado, sou amado e sinto-me belo, e sei que ela está me lendo por completo; Entende o que sinto, como se vivesse dentro de mim.
Nunca vi nada assim tão sedoso, o acordar de duas almas siamesas que dançam, na alvorada, como uma balada que começa...
É este o medo que tenho... de um dia perder estas manhãs, de um dia olhar para o lado e não mais ter o espaço da cama completado....de não ter suas pernas e pele macia. De não ter cabelos emaranhados de uma noite de amor, não haver lençóis enrolados....de não sentir caricias em meu corpo ... é este o medo de um homem...
Quero manhãs, sol, torradas, bolachas, sorrisos, leite quente, chá, luz e amor.
Quero loucura, apalpões, beijos, dançar a dois...quero amor sem suplicas....quero ser eu a passar o creme após o banho, quero dizer que já vou..que estou indo, mais uma vez, deitar-me ao seu lado.....
Quero cantar sem pensar em quem ouve...quero...amar depois de conhecer eternamente!

B>A>M

4 comentários:

  1. Anônimo30/11/09

    Dói amar alguém e não ser amado em retorno, mas o que é mais doloroso é amar alguém e nunca encontrar a coragem para deixar esta pessoa saber como você se sente.

    ResponderExcluir
  2. A dor é algo de que não podemos fugir, é algo que pode ser externo ou interno. Mas certamente nada pode ser pior que a dor interna, não a da carne, e sim a do corpo, a dor no coração, a dor do medo.
    O medo de perder o que mais amamos, a possibilidade de se perder aquilo que mais amamos dói muito mais que o parto, muito mais que um corte que demora a cicatrizar. A dor de perder o que amamos, ou quem amamos é a pior dor do mundo.
    Não sei se você já perdeu alguém que ama, se sim, você sabe do que estou falando, se não, você não faz idéia do que é dor. Me desculpe se você acreditava ter sofrido a maior dor do mundo, mais se esta não veio da perda de quem você ama, a sua dor não pode ser a maior.
    Mais uma vez citando o poeta: “Você quer saber se ama aquela pessoa de verdade? Tente imaginar como seria a sua vida sem esta pessoa, se você perceber que não conseguiria viver sem ela, aí você sabe que ama”. É assim que funciona o amor, e quando você percebe que esta situação é verdadeira na sua vida, é aí que você passa a sentir medo.
    Escutei alguém dizer uma vez a uma pessoa que afirmava não ter medo, “se você não tem medo, você não tem esperança, e conseqüentemente não tem fé”. Então eu acho que sou um homem de muita fé. Certo dia tive a sensação de que ia perder a minha esposa, e meu bebê que estava em sua barriga, não pude controlar as lagrimas, não posso imaginar perder mais um filhinho, não sei se agüentaria...
    Sei que tenho medo de perdê-los, assim como tenho muito medo de perder meus pais também. É uma dor que dói de mais, e não desejo esta a ninguém. Quando vejo o sorriso da minha queridinha, minha filhinha, sinto um alívio, sinto uma paz tão grande que consigo finalmente ver Deus. É como se fosse uma efusão no Espírito Santo.
    Quando penso na possibilidade em perder minha esposa, me lembro da promessa que fizemos no dia de nosso casamento: “até que a morte nos separe!” Mas quem casa pensando que a morte irá separar o casal? Se casa pensando em viver eternamente juntos! Se não for verdade, corrijam-me os casados que lerem este texto.
    Contudo, como diz as escrituras: “Se Deus é por nós quem será contra nós?” ou ainda “... a quem temerei?”, portanto como Deus está do nosso lado, temos todo o direito do mundo de ter medo, mas não de se entregar ao medo, ou deixar que ele nos domine. Deus é nosso pastor (Salm 22), Ele é o nosso guarda (Salm 120) Deus está comigo e com você para sempre (Mt 28,20b).
    Imagine você a dor que sente Deus quando vê um filho seu se perder, imagine a dor que O Pai sentiu quando entregou seu único filho para morrer na cruz por nós, é a mesma ou porque não dizer, é maior que a dor que sentimos quando perdemos alguém. Amigo se você assim como eu, não deseja a ninguém está dor, pense em como está a sua vida, dê um jeitinho nela, mude de vida, pois não desejar este medo, esta dor a ninguém, é não desejar a Deus também, que lhe ama mais que tudo (Is 43,4b).

    Generray Neres

    ResponderExcluir
  3. Anônimo30/11/09

    a perda faz parte, a queda faz parte, a morte faz parte, é impossível viver satisfatoriamente se não aceitamos a queda, a perda, a morte o erro, precisamos aprender a perder, a cair, a errar e a morrer. Não é possível saber ganhar sem saber perder, não é possível saber andar sem saber cair, não é possível viver sem saber morrer!
    Em outras palavras, se temos medo de cair, andar será muito doloroso; se temos medo de morrer, a vida será muito ruim; se temos medo de perder, o ganho nos enche de preocupação!!!
    Esta é a figura do fracasso dentro do sucesso, pois quanto mais ganha, quanto mais melhora na vida, mais sofre. Para a pessoa que tem medo de ficar pobre, quanto mais dinheiro obtém mais preocupado fica. Para a pessoa que tem medo do fracasso, quanto mais sobe na escala social, mais desgraçada é a sua vida.
    Agora, se você aprende a perder, a cair, a errar e a morrer, ninguém o controla mais, pois o máximo que pode acontecer a você é cair, é perder, é errar, é morrer e isso você já sabe!!

    ResponderExcluir
  4. Joao Carlos30/11/09

    MEDO DE PERDER O AMOR - Este medo produz uma série de distúrbios e tira a paz de espírito. Se vocês dois se amam, são como duas metades que se juntam de forma tão unitária que ninguém pode separar, a não ser vocês mesmos. Cultivem, então, o amor, doem-se mutuamente, mantenham a vida dessa flor maravilhosa e o amor continuará até o fim dos tempos.É dando que se recebe; dê amor a mancheias e com toda a largueza do seu coração e estará enriquecendo e estreitando cada vez mais o seu amor.
    Você nunca perderá o amor do seu coração. Se o seu namorado se foi, se o seu noivo se foi, saiba que você pode perder o amor de outra pessoa, mas jamais perderá o AMOR.
    Este sempre existe em você, é inesgotável e tende, por sua própria essência, a encontrar a sua outra parte. Não se feche, pois, na solidão e nem viva trancado de medo de perder o seu amor. Dê vida ao seu amor , ao invés de sufocá-lo. É na liberdade, por incrível que pareça, que o amor mais se desenvolve. Envolva o seu amor num círculo de proteção divina e descanse...

    Encontrei este texto e ele tem tudo a ver com este medo...estes medos.
    Joao Carlos

    ResponderExcluir

Comente o texto.
Dê sua opinião ou deixe sua poesia, crônica, poema...