30 abril 2010

Você é responsável

Você foge do amor quando:
- não se valoriza o suficiente e vive reclamando de carência,
- não aceita um rompimento e vive sonhando com a volta,
- não sai de casa e se entrega a reclamação,
- não acredita que tudo pode ser melhor com outra pessoa,
- não distribui o seu amor em forma de solidariedade,
- acredita que paixão é amor,
- acredita que amor eterno é aquele durou 3 meses...
Você foge da felicidade quando:
- Acredita que ser feliz é apenas para "os outros",
- acredita que só falta uma coisa para ser feliz,
- não experimenta novos caminhos,
- não troca velhos hábitos nocivos,
- aceita opiniões que te colocam para baixo,
- não acredita na sorte na sua porta,
- não se olha no espelho com alegria,
- não se valoriza...
Você foge da Vitória:
- quando teima em fazer tudo igual,
- quando tem medo de inovar,
- quando não valoriza seus dons,
- quando pensa, fala mas não faz,
- quando começa algo e não conclui,
- quando na primeira dificuldade, desiste,
- quando quer encontrar um culpado para a derrota,
- quando perde tempo com o erro,
- quando não reconhece o valor de alguém que merece,
- quando se menospreza...
Você vence:
- quando acredita nas infinitas possibilidades que existem em você.
- está sempre pronto para recomeçar,
- quando tem certeza do que deseja,
- quando descobre que Deus é com você, sempre.
Assim, a vitória, a felicidade e o amor, andam de mãos dadas com você, por onde você for, em que tempo for. Porque acima de qualquer problema, na sua vida, está Deus, e Deus é Amor.
Eu acredito em você


Paulo Roberto Gaefke

29 abril 2010

Permissão

Era uma vez um grande samurai que vivia perto de Tóquio. Mesmo idoso, se dedicava a ensinar o Zen aos mais jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.
Certa tarde, um guerreiro, conhecido por sua total falta de escrúpulo, apareceu por ali. Famoso por utilizar a técnica da provocação, esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante.
Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama.
O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo.
Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.
Durante horas, fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.
No final do dia, sentindo-se já exausto e humilhado, o guerreiro retirou-se.
E os alunos, surpresos, perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade.
- Se alguém chega até você com um presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos.
Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.
A sua paz interior depende exclusivamente de você.
As pessoas não podem lhe tirar a calma.
                                                        Só se você permitir...

28 abril 2010

O sonho

Quantas vezes, em sonho, as asas da saudade
Solto para onde estás, e fico de ti perto!
Como, depois do sonho, é triste a realidade!
Como tudo, sem ti, fica depois deserto!
Sonho...
Minha alma voa.
O ar gorjeia e soluça.
Noite...
A amplidão se estende, iluminada e calma:
De cada estrela de ouro um anjo se debruça,
E abre o olhar espantado, ao ver passar minha alma.
Há por tudo a alegria e o rumor de um noivado.
Em torno a cada ninho anda bailando uma asa.
E, como sobre um leito um alvo cortinado,
Alva, a luz do luar cai sobre a tua casa.
Porém, subitamente, um relâmpago corta
Todo o espaço...
O rumor de um salmo se levanta
E, sorrindo, serena, apareces à porta,
Como numa moldura a imagem de uma Santa...

Olavo Bilac

27 abril 2010

Viver por procuração

Viver através dos outros é uma maneira tanto de alcançar o inalcançável quanto de fugir  à eventuais conseqüências desse mesmo tipo de viver.
Sonhamos não o sonho dos outros, pois nada mais individual e pessoal que sonhos, mas através do que outros possuem ou aparentam ter.
Vemos a vida como quem assiste uma novela, nos ligamos, nos emocionamos, até sofremos e nos alegramos, mas podemos a qualquer momento desligar a televisão e fazer alguma outra coisa.
Nos envolvemos sem estarmos verdadeiramente dentro, estamos sob a chuva cobertos por um guarda-chuva. Assim também vemos o aperfeiçoamento pessoal.
Tão brilhante e aquecedor quanto a luz do sol, a grandeza de certas almas chega até a nós, porém vemos isso como se fôssemos simples expectadores da vida.
É bonito ser bom, é nobre ser humilde e ter em si o dom do perdão, ou pelo menos a vontade maior de se chegar até lá, mas nos sentimos incapazes de atingir tal grandeza, como se o "ser bom" e o " procurar construir um mundo melhor" fosse dado apenas a certos privilegiados dos quais nos excluímos.
Toda caminhada é um trabalho sobre si mesmo. Se a mente não ordena as pernas não andam. Pensar que a vida foi construída apenas para alguns privilegiados e que podemos ficar de fora é negar a nós mesmos a possibilidade de chegar a um cimo.
O que é difícil para uns o é para outros, talvez em escalas diferentes, mas difícil ainda assim.
Por que o ser humano recusa-se terminantemente a uma mudança radical, quando essa mudança é para seu próprio bem?
Talvez por se sentir incapaz, não merecedor ou simplesmente porque a acomodação exige menos esforço.
Pedras preciosas são, a princípio, grosseiras pedras que podem ser confundidas com quaisquer outras.
O polimento requer quebra, corte, mudança e tempo.
Entregar-mo-nos a esse polimento é recolher-mo-nos, abandonarmos as idéias pré-concebidas e abrir-mo-nos a algo novo, desconhecido e temível ao mesmo tempo.
Preferimos sim sonhar através dos outros.
Vivemos sem vivermos e alcançamos nosso alvo sem chegarmos a lugar nenhum.
Só que o mundo foi feito para todos nós.
Ele foi cuidadosamente e minuciosamente sonhado e realizado e nós somos as privilegiadas flores que o Senhor plantou.
Importa pouco se essa flor nasceu antes ou depois, se é mais viva, maior ou mais resistente, Deus dá a cada um de nós meios de sobrevivência e a oportunidade de crescimento. Ele nos dá não sonhos longíquos e impossíveis, mas ferramentas e verdadeiras possibilidades. O que vamos fazer de tudo isso depende inteiramente de nós.


Letícia Thompson

26 abril 2010

Desencontros

Quantas vezes você acreditou estar á um passo das realizações, da felicidade de ver um sonho se  realizar e na hora "H", tudo deu errado, de maneira até inacreditável?
Quantas vezes você julgou estar diante do amor da sua vida, daquela pessoa especial que te faria feliz para a eternidade, e de repente, o que era doce azeda, e vira passado em poucos dias...
Quantas vezes a mulher sonhadora engravidou, e antes do terceiro mês de gestação, teve um aborto do nada, derrubando sonhos, aniquilando com as esperanças e um mundo todo dela, onde só restam enxovais e lágrimas...
Quantas vezes na admissão de uma empresa, depois de muitas entrevistas você tem a certeza de que vai ser chamado, e o tempo passa e nada, você descobre que chamaram o outro.
São fases, momentos que parecem castigos, e a alma enfraquecida pode se entregar a lamentação, criando uma energia muito ruim, desoladora mesmo.
Mas aqueles que não desistem, aqueles que tem um sonho, e lutam por ele, vão tentando por todos os lados, e mães engravidam aos 50, e operários viram Presidentes, e contínuos viram diretores das empresas, e onde só se via mato, hoje se vê um jardim, e ruas esburacadas são asfaltadas, riachos viram rios e rios deságuam no mar, se agigantam...
Essas pessoas, testadas no fogo das desilusões, vencedoras pela persistência, costumam levantar tijolos no ar, plantam na areia ou no barro, porque sabem que, o impossível é apenas algo que ainda não tomou forma, mas que é tão palpável quanto os seus desejos de vencer.
Vista-se dessa determinação, não fique apenas na fé, TENHA CERTEZA! se hoje não foi o seu dia, amanhã será, e o amanhã é apenas uma virada de ponteiros, no grande e poderoso relógio do tempo, tempo que é quase nada para quem já chegou até aqui.
NÃO DESISTA DE LUTAR, vencer é apenas a conseqüência.
Eu acredito em você.

Paulo Roberto Gaefke

24 abril 2010

A você, com amor...

O amor é o murmúrio da terra quando as estrelas se apagam e os ventos da aurora vagam no nascimento do dia...
O ridente abandono, a rútila alegria dos lábios, da fonte e da onda que arremete do mar...
O amor é a memória que o tempo não mata, a canção bem-amada feliz e absurda...
E a música inaudível...
O silêncio que treme e parece ocupar o coração que freme quando a melodia do canto de um pássaro parece ficar...
O amor é Deus em plenitude a infinita medida das dádivas que vêm com o sol e com a chuva seja na montanha, seja na planura a chuva que corre e o tesouro armazenado no fim do arco-íris.



Vinicius de Moraes

23 abril 2010

Dar não é Fazer Amor

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar. Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...Te amolece o gingado... Te molha o instinto. Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio. Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que que cê acha amor?".
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado...


Luís Fernando Veríssimo

22 abril 2010

Amante...

Muitas pessoas têm um amante e outras gostariam de ter um.
Há também as que não têm, e as que tinham e perderam.
Geralmente são essas últimas as que vêem ao meu consultório  para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro ou as mais diversas dores.
Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre.
Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança.
Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão", além da inevitável receita do anti-depressivo do momento.
Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que elas não precisam de nenhum anti-depressivo;  digo-lhes que elas precisam de um AMANTE!
É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho.
Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas?!"
Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais.
Àquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas,eu explico o seguinte:
AMANTE é "aquilo que nos apaixona".
É o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono!! e é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir.
O nosso AMANTE é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta.É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.
Às vezes encontramos o nosso amante em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis.
Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura,na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto...
Enfim, é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar" a vida e nos afasta do triste destino de "ir levando".
E o que é "ir levando"? Ir levando é ter medo de viver.
É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante! !
Observar decepcionada cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva.
Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão  de que talvez possamos realizar algo amanhã.
Por favor, não se contente com "ir levando"; procure um amante, seja também um amante e um protagonista ... da SUA VIDA...
Acredite: o trágico não é morrer;  afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém.
O trágico é desistir de viver; por isso,  e sem mais delongas, procure um amante .....
E quando o encontrar, viva por ele e não o deixe fugir.
A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:
"PARA SE ESTAR SATISFEITO, ATIVO E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, É PRECISO NAMORAR A VIDA."


Dr. Jorge Bucay

21 abril 2010

Navegue...

Descubra tesouros. Mas não os retire do fundo do mar. O lugar deles é lá.
Admire a Lua. Sonhe com ela. Mas não queira trazê-la para a Terra.
Curta o Sol. Se deixe acariciar por ele. Mas lembre-se que seu calor é para todos.
Sonhe com as Estrelas. Apenas sonhe. Elas só podem brilhar no céu.
Não tente Deter o Vento. Ele precisa correr por toda parte. Ele tem pressa de chegar.
Não apresse a Chuva. Ela quer cair e molhar muitos rostos. Não pode molhar só o seu.
As Lágrimas? Não as segue. Elas precisam correr na minha, na sua, em todas faces.
O sorriso? Esse deve se segurar. Não o deixe ir embora. Agarre-o.
Quem você ama? Guarde dentro de um porta jóias. Tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda. Se o século vira.
Conserve a vontade de Viver. Não se chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar. E as portas também.
Persiga um Sonho. Não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com AMOR.
Cure suas feridas com CARINHO.
Descubra-se todos os dias.
Deixe-se levar pelas vontades. Mas não enlouqueça por elas.
PROCURE. Sempre procure o fim de uma história. Seja ela qual for.
Dê sorriso para quem esqueceu-se como faz isto.
Olhe para o lado. Alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de FÉ. Não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Agonize de dor por um amigo. só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos. Mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se. Volte atrás. Peça perdão.
Não se acostume com o que não o FAZ FELIZ.
Revolte-se quando julgar necessário. Alague seu coração de esperanças.
Mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar. Volte!!
Se perceber que precisa seguir. SIGA!
Se estiver errado. Comece novamente!
Se estiver tudo certo. Continue!
Se sentir saudades. Mate-a!
Se perder um amor. Não se perca!
Se achá-lo. Segure-o!!

"Circunda-te de rosas, ama, beba e cale, o mais é nada".


Fernando Pessoa

20 abril 2010

Canção do amor sereno.

Vem sem receio: eu te recebo
Como um dom dos deuses do deserto
Que decretaram minha trégua, e permitiram
Que o mel de teus olhos me invadisse.
Quero que o meu amor te faça livre,
Que meus dedos não te prendam
Mas contornem teu raro perfil
Como lábios tocam um anel sagrado.
Quero que o meu amor te seja enfeite
E conforto, porto de partida para a fundação
Do teu reino, em que a sombra
Seja abrigo e ilha
Quero que o meu amor te seja leve
Como se dançasse numa praia uma menina.

Lya Luft

19 abril 2010

Nada fica Sem Resposta...

A vida nos cobra tomar decisões constantemente.
Cada escolha determina um fato no futuro.
Cada fato uma vivência inadiável.
Cada experiência, uma mudança imposta.
Escolher é fácil quando nossos sentimentos e ilusões não estão envolvidos.
Somos livres para escolher nossas ações, mas prisioneiros de suas consequências.
Todo momento é decisivo.
Temos que decidir sempre entre o que é bom e o que é mau, entre nossas ambições desmedidas e nosso bom senso interior.
Por isso é preciso descobrir se teremos a coragem de ficar do lado de nossa alma ou se preferimos mentir para nós mesmos.
Mas seja qual for a nossa escolha, lembremos que "nada fica sem resposta".


Luiz Gasparetto

16 abril 2010

Para viver um grande amor

Para viver um grande amor preciso, é muita concentração e muito riso, muita seriedade e pouco riso - para viver um grande amor.
Para viver um grande amor.
Mistério é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, pôxa! é pra quem quer - não têm nenhum valor.
Para viver um grande amor primeiro, é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro - seja lá como for.
Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada - para viver um grande amor.
Para viver um grande amor direito, não basta apenas ser um bom sujeito; é preciso também ter muito peito. - peito de remador.
E o que há de melhor que ir para cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, - para o seu grande amor?
É sempre necessário ter em vista um crédito de rosas na florista - muito mais, muito mais que na modista!
- para viver um grande amor.
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, filés com fritas, comidinhas para depois do amor.
Para viver um grande amor é muito, muito importante, viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto - para não morrer de dor.
É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente - e esfria um pouco o amor.
Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia - não ser um ganhador.
Mas tudo isso não adianta nada, se resta selva escura e desvariada não se souber achar a grande amada para viver um grande amor.


Vinicíus de Moraes

15 abril 2010

O valioso tempo dos maduros,

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas..
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial!


Mário de Andrade

14 abril 2010

Crônica do Amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão.
O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante.Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste.
Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.
Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas.
Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim, você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo.
Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa.
Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é!
Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

Arnaldo Jabor

13 abril 2010

A impontualidade do Amor

Você está sozinho.
Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar.
Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha.
Trimmm! É sua mãe, quem mais poderia ser?
Amor nenhum faz chamadas por telepatia.
Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios.
Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia-volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa?
Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio.
O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana.
Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.
O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro.
Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole.
O amor está em todos os lugares, você que não procura direito.
A primeira lição está dada: o amor é onipresente.
Agora a segunda: mas é imprevisível.
Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês.
Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza.
Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.

Martha Medeiros

12 abril 2010

Oi...

Oi a você...
Que está cansado.
Que trabalhou.
Que deu duro.
Que nem teve tempo, hoje, para sonhar um pouco.
Se tudo que queria agora era um carinho.
Ou um copinho de café de uma mão amiga.
Um bilhete dizendo o quanto é especial...
Se seus olhos estão secos mas gostaria de chorar.
Se queria um abraço sem segundas intenções.
Se os seus pés doem.
Se está cansado demais para ler um livro ou tomar um chá.

Oi...
De tempos em tempos, a vida recua, na esperança de que tomemos posse dela com mais ânimo.
É o clamor de um coração paciente, que espera nada do que compra o dinheiro.
Espera a doce paz do reconhecimento...
Por isso hoje vim para dizer...
Oi!
Você que é tão especial...
Que tem tantos talentos.
Tanta sensibilidade.
Um sorriso bonito.
Que tem dons maravilhosos!
Você que dribla e vence todos os problemas.
Que pensa em mudar e melhorar alguma coisa.
Que merece carinho, que merece atenção.
Oi
Você que é uma fagulha divina.
Que é amado e que ama.
Que tem mais qualidades que defeitos.
Que tem mais acertos que erros.
Que a cada dia desperta mais belo!
Oi amigo.
A vida é assim.
Às vezes o coração dói na falta não sei de quê.
Nada tão grande.
Talvez algumas migalhas de amor e de carinho...
Por isso hoje lhe trago a parcela do meu afeto.
Pois você faz a diferença em minha lista de momentos felizes, de pessoas bondosas, de personalidades maravilhosas.
Você é uma gota do meu oceano de amor e ânimo, do meu antídoto contra a dor de uma vida acelerada e por demais exigente.
Você é dádiva que o tempo jamais vencerá.
É bênção que não se repetirá.
É raio exclusivo do sol da amizade.
De tempos em tempos a vida se espanta de ver quanto amor encerra um simples...
Oi!
A você, com carinho e gratidão, por sua presença virtual tornando melhores os momentos de muitas pessoas!

09 abril 2010

A Saudade Fala Português

Eu tenho saudades de tudo que marcou a minha vida .
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades...
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...
Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou vir a ter, se Deus quiser...
Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro...
Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei, de quem disse que viria e nem apareceu; de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito; daqueles que não tiveram como me dizer adeus; de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre; de coisas que eu tive e de outras que não tive mas quis muito ter; de coisas que nem sei que existiram, mas que se soubesse, decerto gostaria de experimentar.
Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências...
Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer, dos livros que li e que me fizeram viajar, dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar, das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade;
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que, não sei aonde, para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...
Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades em japonês, em russo, em italiano, em inglês, mas que minha saudade, por eu ter nascido brasileiro, só falar português embora, lá no fundo, possa ser poliglota.
Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria, espontaneamente, quando estamos desesperados, para contar dinheiro, fazer amor e declarar sentimentos fortes, seja lá em que lugar do mundo estejamos.
Eu acredito que um simples "I miss you", ou seja lá como possamos traduzir saudade em outra língua, nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.
Talvez não exprima, corretamente, a imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito, meio nostálgico, meio gostoso, mas que funciona melhor do que um sinal vital quando se quer falar de vida e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis, de que amamos muito do que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência...
Sentir saudade, é sinal de que se está vivo!

08 abril 2010

O Céu Pode Esperar

O céu pode esperar, e uma banda dos Anjos rematou no meu coração,
Vai levar-me através da noite solitária, através do frio do dia.
E eu sei, eu sei, O céu pode esperar,
E todos os deuses vêm para aqui só para cantar para mim,
E a melodia vai fazer-me voar, sem dor, sem medo.
Dá-me todos os seus sonhos, e deixe-me ir sozinho em seu caminho.
Dê-me todas as suas orações para cantar, e eu vou virar a noite na clarabóia do dia.
Eu tenho um sabor de paraíso, nunca vou deixá-lo escapar.
Eu tenho um sabor de paraíso, e tudo que eu realmente necessito é que me faça ficar
Assim como uma criança novamente.
O céu pode esperar.
E tudo que eu tenho é o tempo, até o final dos tempos.
Não vou olhar para trás.
Deixe os altares brilharem.
E eu sei que fui libertado, mas não sei de onde,
E ninguém vai me dizer agora, e eu realmente não me importo.
Não, não, não.
Eu tenho um sabor de paraíso.
Isso é tudo que eu realmente preciso é que me faça ficar.
Eu tenho um sabor de paraíso.
Se eu tivesse algo novo você sabe
Você sabe que eu nunca teria fugido de minha casa.
O céu pode esperar.
E tudo que eu tenho é o tempo até o final dos tempos.
Não vou olhar para trás.
Deixe os altares brilharem.
O céu pode esperar.
Não vou olhar para trás.

Heaven Can Wait - Meat Loaf

07 abril 2010

Inconfesso Desejo

Queria ter coragem para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos as palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo para viver com você ...
Este inconfesso desejo

Carlos Drummond de Andrade

Amo...

Amo andar pelas tardes sem som, brandas, maravilhosas
Com riscos de andorinhas pelo céu.
Amo ir solitário pelos caminhos
Olhando a tarde parada no tempo
Parada no céu como um pássaro em vôo
E que vem de asas largas se abatendo.
Amo desvendar a vaga penumbra que desce
Amo sentir o ar sem movimento, a luz sem vida
Tudo interiorizado, tudo paralisado na oração calma…
Amo andar nessas tardes…
Sinto-me penetrando o sereno vazio de tudo
Como um raio de luz.
Cresço, projeto-me ao infinito, agitando
Para consolar as árvores angustiadas
E acalmar os pinheiros moribundos.
Desço aos vales como uma sombra de montanha
Buscando poesia nos rios parados.
Sou como o bom-pastor da natureza
Que recolhe a alma do seu rebanho
No agasalho da sua alma…
E amo voltar
Quando tudo não é mais que uma saudade
Do momento suspenso que foi…
Amo voltar quando a noite palpita
Nas primeiras estrelas claras…
Amo vir com a aragem que começa a descer das montanhas
Trazendo cheiros agrestes de selva…
E pelos caminhos já percorridos, voltando com a noite
Amo sonhar…

Vinícius de Moraes

06 abril 2010

Guarde...

Guarda tua tristeza, que já tenho a minha.
Não vamos dividir o dissabor das reticências.
O tempo, se não cura, torna opaco.
Os resíduos da noite sucumbem ao novo dia.
Os fragmentos de minhas loucuras estilhaçaram sob teus pés.
Calamo-nos.
Porque o silêncio desfaz amargos dizeres.
Na solidão, que destrói limites e dispersa a razão, tomo minha mudez como amante.
É com ela que passo as horas a não pensar em você."

desconhecido

05 abril 2010

O amor e a Saudade

Brincar com as palavras...
Palavras essas que tem o poder de curar as pessoas... mas também tem o poder de destruir se não são bem usadas...
Nesse ano, existiram várias razões para que eu escrevesse sobre a vida, sobre os sentimentos que me assolaram.
Fiz pessoas chorar de felicidade, mas também fiz chorar de tristeza. Mosaico de emoções muitas vezes impensadas por mim e pelo meu coração.
Pergunto-me hoje: Ainda existe razão de ser escritor?
Existe ainda o motivo?! Será que você ainda terá o mesmo gosto em ler meus pensamentos?
À poucas pessoas dei o direito de conhecer a minha alma. E nenhuma dessas pessoas foi como você nesse ano que está terminando! Despertou em mim as emoções mais diversas, possíveis e imagináveis!
Lendo os grandes pensadores, que tinham uma alma tão grande que não cabia dentro deles, entendo a razão pela qual escreviam!
Extravasar emoções, sentimentos que ficam contidos no limite da razão e da consciência!
Partillho com você a alma! A alma que escreve sobre aquilo que se sente em determinado momento do dia, da semana, do mês!
Queria hoje poder partilhar a alegria que não acaba! Mas esbarro na minha humanidade. Nas minhas limitações, que fazem com que minha voz, tantas vezes utilizada para tantas coisas, fique embargada até o ponto de não mais conseguir falar...
Busco no vento, no sol, a alegria que outrora senti ao olhar para essas situações! Natureza! Hoje, sinto essa saudade. Como expressar?
Saudade. Saudade de quem está vivo é pior do que a saudade qus sentimos daqueles que já se foram.
Hoje é dia ...nem sei. Pergunto-me: Ainda tens vontade de entender e compreender a minha alma?! Volto à escrever, pois a inspiração nunca se foi! Sempre esteve ao meu lado! Apenas ficou um pouco mais distante! Posso escrever sobre as alegrias da proximidade, mas também sobre as tristezas da distância que surgiu...
Independente de tudo, agradeço a inspiração! A fonte de graças inesgotáveis que sempre foi! No fundo, todos somos incompreendidos pelo nosso ser! Estamos nos descobrindo, dia-a-dia.
E é através dessa inspiração que escrevo hoje, que escreverei amanhã, e depois de amanhã...
Acredite, é uma maneira que encontro de matar a saudade de sua alma também! Alma que amo! Alma que me fez descobrir que não tenho todas as respostas! E que me ensina que em Deus, mesmo que quase que se esgotando, a grandeza interior nos dá uma segunda chance!
Segundas chances, no meu caso!
Digo à você, fonte de inspiração: Obrigado! Obrigado por tudo! Eu poderia escrever anos e anos. Nunca seria capaz de agradecê-la à altura. Almejo fazê-lo, porém, sei que nunca conseguirei.
Como pessoa que sou, só posso dizer à você: você me ensinou à te amar! Me cativou! Hoje, tenho de aprender a lhe dar melhor com o fato de não estar tão próximo como antes. Independente da distância, o amor e a saudade persistem!
Creio que a saudade sempre irá me acompanhar.
E se você sente isso também, uma alegria me invade o coração! Na essência, creio eu, esse amor verdadeiro jamais deixará de existir e de viver!
Afinal, só se tem saudade daquele ou daquela que se ama!
Se sinto saudade, é porque amo você, com o mais belo, puro e fraternal amor que Deus poderia permitir que eu sentisse!!!
Quero cultivar esse amor todos os dias!
Perto ou longe, conte com o meu amor e minhas orações!!!
Você foi, é e sempre será alguém extremamente importante em minha vida.
Sempre!!! Eternamente!!!


Márcio Cardoso

02 abril 2010

Poema Do Menino Jesus

Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho como uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra.
Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez menino, a correr e a rolar-se pela erva A arrancar flores para deitar fora, e a rir de modo a ouvir-se de longe.
Ele tinha fugido do céu. Era nosso demais pra fingir-se de Segunda pessoa da Trindade.
Um dia que DEUS estava dormindo e o Espírito Santo andava a voar, Ele foi até a caixa dos milagres e pegou três.
Com o primeiro Ele fez com que ninguém soubesse que Ele tinha fugido; com o segundo Ele se criou eternamente humano e menino; e com o terceiro Ele criou um Cristo eternamente na cruz e deixou-o pregado na cruz que há no céu e serve de modelo às outras.
Depois Ele fugiu para o Sol e desceu pelo primeiro raio que apanhou.
Hoje Ele vive na minha aldeia, comigo. É uma criança bonita, de riso natural. Limpa o nariz com o braço direito, chapinha nas poças d'água, colhe as flores, gosta delas, esquece. Atira pedras aos burros, colhe as frutas nos pomares, e foge a chorar e a gritar dos cães. Só porque sabe que elas não gostam, e toda gente acha graça, Ele corre atrás das raparigas que levam as bilhas na cabeça e levanta-lhes a saia.
A mim, Ele me ensinou tudo. Ele me ensinou a olhar para as coisas. Ele me aponta todas as cores que há nas flores e me mostra como as pedras são engraçadas quando a gente as tem na mão e olha devagar para elas. Damo-nos tão bem um com o outro na companhia de tudo que nunca pensamos um no outro. Vivemos juntos os dois com um acordo íntimo, como a mão direita e a esquerda. Ao anoitecer nós brincamos as cinco pedrinhas no degrau da porta de casa. Graves, como convém a um DEUS e a um poeta.
Como se cada pedra fosse todo o Universo e fosse por isso um perigo muito grande deixá-la cair no chão.
Depois eu lhe conto histórias das coisas só dos homens. E Ele sorri, porque tudo é incrível. Ele ri dos reis e dos que não são reis. E tem pena de ouvir falar das guerras e dos comércios. Depois Ele adormece e eu o levo no colo para dentro da minha casa, deito-o na minha cama, despindo-o lentamente, como seguindo um ritual todo humano e todo materno até Ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma. Às vezes Ele acorda de noite, brinca com meus sonhos. Vira uns de pena pro ar, põe uns por cima dos outros, e bate palmas, sozinho, sorrindo para os meus sonhos. Quando eu morrer, Filhinho, seja eu a criança, o mais pequeno, pega-me Tu ao colo, leva-me para dentro da Tua casa.
Deita-me na tua cama. Despe o meu ser, cansado e humano.
Conta-me histórias caso eu acorde para eu tornar a adormecer, e dá-me sonhos Teus para eu brincar.

Fernando Pessoa

01 abril 2010

Revelação (Menotti Del Picchia)

Eras tu!
Tua voz de um som tão brando continuou em frases comovidas o diálogo que vínhamos travando através de outras vidas... Eras tu!
Minha mão trêmula e ardente sentiu na tua o afago de um carinho igual à sensação que uma ave sente ao encontrar seu ninho.
Esta ânsia que em meu peito tumultua, que és meu loiro destino ela adivinha.
Não é mister dizeres: "Eu sou tua...", porque sinto que sempre fôste minha.

Menotti Del Picchia